Os mitos da alimentação infantil | a crise dos 2 anos

[ad_1]

Natália Vignoli é nutricionista, mamãe da Letícia e colaboradora do blog com suas dicas de nutrição para grávidas, mamães, bebês e crianças.

No segundo ano de vida, até os 6 anos, também conhecido como período pré escolar, a criança tem um decréscimo no ritmo de crescimento, ou seja, cresce com velocidade bem menor! Além disso, começa a mostrar mais interesse pelas coisas ao seu redor, esquecendo, muitas vezes, de comer.

A recusa aumenta, as birras também! E isso se dá também com a alimentação. É aqui que levamos um susto e acabamos oferendo bolachas e alimentos de mais fácil aceitação (bisnagas, cereais com açúcar, biscoitos etc) na ideia de que é melhor comer qualquer coisa do que não comer.

Bem, vamos lá:

 No primeiro ano de vida, a criança cresce e engorda bastante. O leite materno é riquíssimo em gorduras e proteínas, justamente visando esse crescimento mais acelerado.

 No segundo ano de vida, a criança cresce e engorda bem menos! Logo, a quantidade alimentar não precisa continuar na crescente que vinha! É comum, estarmos acostumadas com uma criança que vinha comendo um pouco a mais a cada dia, e essa recusa repentina assusta!

 Dos 2 aos 6 anos, a recusa alimentar e os testes de “limites” começam sim.

Então, quais orientações são adequadas nesse período?

 Varie o cardápio e mantenha todos da casa com uma alimentação equilibrada;

 Peça ajuda da criança no preparo das refeições e nas compras, deixe-a envolvida no processo de escolha, compra, preparo;

 Não ofereça recompensas!

 Experimente colocar menos comida no prato;

 Crie metas: colocar 3 ou 5 cores no prato, experimentar 3 vegetais diferentes na semana, escolher 2 frutas por dia para comer. Elabore um quadro divertido com as metas!

 Ofereça sempre! Coma você também. O seu filho deve te ver comendo. Mostre interesse pela comida! Coma com ele!

 Imponha limites. O seu filho deve se alimentar com o que tem disponível na casa (exceções em casos de alergias, restrições e considerando que a família mantem uma alimentação equilibrada);

 A família deve ter hora e local tranquilo para comer. Nesse momento, deixe o celular de lado, desligue a televisão e usufrua do momento em família.

Colunista_Natalia

[ad_2]

Source link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *